Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Artimanhas do Diabo

Artimanhas do Diabo

AZUL, AINDA AZUL

Azul mavioso

Azul coroado

Azul da cor do cobalto

Azul

Claro ou escuro

Sempre azul

Para que te veja azul

Para sempre

Nos meus dias de êxtase;  

Olho-te

Miro-te  

E distingo

A candura de um pensamento

A vontade envolta em paz

Uma miscelânea

De vozes ao longe

Parecem súplicas

Será para não esquecer as origens?

Um dia bonito e indomado

No meio das dunas

O vento forte na praia

Bate-me de frente

Arrefece a minha ansiedade  

Molda-me os desejos;

O dia acordou azul

O dia adormecerá azul, ainda e

Veraneio!

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub